domingo, 1 de junho de 2008

Exclusividade gaúcha

Toda mulher gaúcha tem um pouco de macho. Digo macho porque, nos tempos de guerra, passavam meses sem seus homens, e para ficar sem marido esse tempão todo, tem que ser macho, muito macho. Macho porque muitas delas sabem cavalgar, e para não temer a altura de um cavalo, somada ainda à altura de quem cavalga, tem que ser macho. Macho porque é capaz de agüentar um homem que se acha mais macho do que ela. Macho porque suporta o frio do inverno gaúcho.

Característica do clima subtropical temperado do Rio Grande do Sul: estações razoavelmente bem definidas. Na teoria, quando é verão, é verão, e quando é inverno, é inverno. Nada de calorão e seca quando é para ter frio e chuva; mas não raras são as vezes em que a teoria vai por água abaixo e há chuva, muita chuva, quando parece que se vai finalmente conseguir torrar no sol e pegar uma cor.

Quem será o criador desse frio dos invernos, opa!, dos infernos? Será a mulher, para poder comprar, comprar e comprar? Aí vão as opções da moda para sobreviver à estação: touca, boina, blusão de gola rolê, boné, luva, poncho... Quer mais? Bota até o joelho, meia calça de lã, gabardine, manta, calça de veludo...

É preciso achar o culpado deste inverno tão rigoroso. As mulheres-macho negam a autoria, porque afinal, se é por consumir, a moda da estação alegre - o verão - também oferece opções mil. Elas anseiam por dar uma sola de laço no responsável por tanto desânimo, pele ressecada e cabelo rebelde causado pela umidade. O criador dessa peculiaridade climática só pode ter sido o homem gaúcho, para dar uma desculpa que não manche a macheza toda, e assim poder implorar pela amada ao seu lado, embaixo do cobertor, curtindo um colo bem quente e aconchegante, com bônus composto por beijinhos e café na cama na manhã seguinte.

1 Comment:

marquinhos said...

Mazááááá!
Eu gosto de uma mulher-macho, assumo. Mas a minha é um pouco diferente dessa do texto. A completaria com futebol no pé e nos olhos e com um pouco mais de compreensão para o meu pé gelado debaixo das cobertas. Em trocar eu arrumo a cama, faço almoço e lavo a louça! Só não lavo o banheiro porque daí é coisa de mulher e de mulher muito macho! ;-)

p.s.: Senti o cheiro dessa crônica com um tom oriundo da feita da tarefa de Redação III, confere?

p.s.2: Muito boa! Ótimo texto e jogada! hehe


Beijããão queridona!